Calendário de vacinação para maiores de 18 anos será divulgado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Beto Preto disse que o 'calendário está praticamente pronto' e que objetivo do estado é 'colocar as doses à disposição dos paranaenses'. Secretário de saúde alertou que o momento continua crítico, com a circulação do vírus alta.

O calendário de vacinação contra a Covid-19 no Paraná para todas as pessoas, a partir dos 18 anos, deve ser divulgado logo. A informação foi confirmada pelo secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, nesta quarta-feira (16).

Na segunda-feira (14), o governador Ratinho Junior (PSD) disse que o Paraná vai vacinar toda a população mais de 18 anos até setembro, mas não divulgou o calendário para a imunização.

Segundo o secretário, que está em São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, para negociar abertura de 10 novos leitos, uma reunião foi feita para pedir que os diretores ajudem os municípios a fazer com que a vacinação avance.

Beto Preto também falou sobre a diferença de idades que estão sendo vacinadas nas cidades do estado. Algumas passaram para o grupo com menos de 40 anos, outras ainda estão nos grupos dos 50 anos.

“No final de março tivemos a orientação para utilizar a segunda dose como primeira dose e 204 municípios fizeram isso, os outros 195 não. Os que fizeram, receberam mais doses para recomposição do estoque e avançaram mais que os outros”.
Conforme o secretário, desde o final de semana, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) está remanejando doses para equalizar a conta e fazer com que as cidades igualem os cronogramas.

“Estamos mandando mais doses para os 195 municípios que não fizeram essa estratégia lá atrás. Ao longo das semanas isso vai se equalizar”.
Beto Preto também disse que, no grupo de comorbidades, muitas pessoas não foram se vacinar. Segundo ele, isso fez com que houvesse uma pequena sobra e que o municípios devem usá-la.

“Junto com os secretários municipais estamos utilizando as doses para que os municípios possam descer por idade as doses. Existem municípios próximo dos 50 anos, e esse é o caminho que vamos seguir agora”.
Vacinas contra a Covid-19 aplicadas no Paraná: Pfizer, AstraZeneca e Coronavac. — Foto: Giuliano Gomes/PR Press

Escolha de vacinas
Nos últimos dias, episódios de pessoas que se recusaram a tomar determinadas vacinas começaram a acontecer em várias cidades do Paraná. Beto Preto lembrou a população que vacina boa é a vacina que o estado tem no momento.

“As pessoas dizem que não querem tomar uma ou outra vacina, mas 97% dos insumos farmacêuticos ou vem da China ou vem da Índia. Pode ser montado em outros países, mas vem destes países. A vacina boa, é a vacina aplicada”.
Beto Preto comentou sobre a diminuição de 65% para 24% do número de pacientes idosos que dão entrada em leitos de UTI após o início da vacinação contra a Covid-19. Segundo o secretário, esse é o reflexo de que a vacina faz efeito.

“Houve uma queda significante devido a vacina. Dentro dessa faixa etária, quem mais recebeu vacina dos idosos, recebeu a Coronavac, que tem efetividade. Queríamos mais resultados se a circulação do vírus baixasse”.
O secretário pediu também que as pessoas que tomaram a primeira dose voltem para tomar a segunda.

Fila de espera por leitos
O secretário de saúde disse que o momento continua dramático e crítico, porque a circulação do vírus continua alta. Segundo ele, a cada 10 exames feitos pela Sesa, 4 são confirmados para a Covid-19.

Junto disso, a fila de espera por leitos de enfermaria ou de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) também se mantem alta.

“Já tivemos números de quase 1300, hoje temos 900. Vamos abrir mais leitos, mas tenho certeza de que não serão 500 a mais. Vamos abrir mais um, dois, conforme os hospitais puderem. É uma grande estratégia de reforço, mas com muita dificuldade, porque a questão técnica está no limite”.
Segundo Beto Preto, as pessoas precisam continuar cuidando com as medidas de segurança faladas há um ano e três meses.

“Vejo as reportagens e me preocupa quando vejo aglomeração, o movimento das pessoas. Nós estamos com tudo aberto, mas é importante frisar que os cuidados precisam ser mantidos”.
Confira a seguir como está a ocupação dos leitos exclusivos para a Covid-19, no Sistema Único de Saúde (SUS):

Decreto estadual
O Paraná tem 1.150.281 casos confirmados e 28.389 mortes provocadas pela Covid-19, de acordo com a Sesa.

O decreto em vigor pelo Paraná, publicado no dia 11 de junho, vale até o dia 30 de junho e trouxe regras que aliviam um pouco a situação. Na terça-feira (15), o estado somou 3.961 diagnósticos e 340 óbitos o que, segundo Beto Preto, cidades podem ter que apertar mais nas medidas.

“O decreto é um guarda-chuva proposto pelo governo. Todos os municípios que tiverem que restringir as medidas, nós vamos apoiar”.
O próprio decreto do governo, conforme Beto Preto, pode ser ampliado a qualquer tempo.

“Tendo piora pode ser restrito, ou havendo melhora pode ser flexibilizado. Cada dia com sua agonia e suas vitorias. Nós estamos trabalhando todos os dias”.
Desde o começo da pandemia, 810.162 paranaenses se recuperaram da doença, o que representa um total de 70% dos infectados. Por outro lado, a taxa de letalidade da Covid-19 está em 2%.